Claudio Nasajon
Às vezes precisamos agir na hora

Alguns dias atrás minha filha de dez anos me disse para “pegar o beijo com ela na cama”. É o nosso código para “me ajuda a dormir, pai”.

O roteiro padrão é o seguinte: ela põe o pijama, escova os dentes, dá boa noite e deita na cama, mas em algumas situações (véspera do último dia de aula, por exemplo), ela tem dificuldade para dormir e, nesses casos, eu vou lá e conto uma história ou faço uma “meditação guiada” para ajudá-la a relaxar.

Esse dia eu não fiz a minha parte.

Fiquei assistindo a um desses filmes 100% adrenalina e toda vez em que ia pausar o vídeo para “pegar o meu beijo”, acontecia alguma virada que me fazia adiar a ação por “mais cinco minutos”.

Quando finalmente consegui ir, ela já estava dormindo 🙁

Imagina meu sentimento de culpa, né?

Pois é… a culpa vai ficar por aqui mais um tempo, mas a lição ficou registrada: há situações que exigem ação imediata, nas quais não dá para “deixar para depois” sob pena de perder a oportunidade.

Com empresas é a mesma coisa.

Talvez agora você sinta uma sobrecarga de trabalho porque é dezembro, mês de festas etc. e aí pode pensar: “vou deixar o planejamento de 2019 para daqui a uns meses”, mas acredite: até lá, pode ser tarde demais!

O eSocial começa em janeiro.

O novo governo começa em janeiro.

As oportunidades de negócios que virão, e pode anotar que virão, não vão esperar você ficar “mais livre”.

Quando o trem passar, se a gente não estiver na estação, não embarca. Simples assim.

Eu sei disso porque a minha empresa fornece sistemas de gestão de recursos empresariais, conhecidos pela sigla ERP e muitos dos meus clientes querem “integrar tudo num só fornecedor”, mas estão esperando um “momento mais calmo” para agir.

São empresas que hoje têm um ERP legal para a parte de finanças, mas ele não compartilha dados com a Folha de Pagamento, por exemplo, ou a folha não fala com o sistema de estoque e por aí vai.

Então, se está nos seus planos para 2019 fazer a avaliação de uma eventual troca, mas só “quando a poeira baixar”, proponho a você pensar melhor.

Essas são decisões que levam meses para implementar, então quando decidir, já estaremos no meio do ano e como alguns módulos, tipo contabilidade e folha de pagamento, são mais complicados de mudar no meio do ano, a coisa toda vai para 2020.

Conclusão, por esperar um ou dois meses, perde um ano inteiro.

É como meu “beijo de boa noite”. Aquele dia eu perdi. Só consegui pegar o da noite seguinte (aí nem liguei a TV).

Conclusão: nas empresas vale a máxima de “não deixe para depois o que você precisa fazer hoje”. Em outras palavras, se você está pensando em fazer alguma mudança estrutural na sua empresa, aja agora! Não deixe para 2019, quando pode ser tarde demais.

Ah… dois meses não vai fazer diferença. Faz sim. Dá para adiantar muita coisa nas semanas que faltam até o fim do ano e nas primeiras semanas de janeiro, se você tomar a decisão agora.

E mais: com a maioria das empresas – inclusive com a Nasajon – dá para negociar a compra agora, começar os trabalhos de implementação, mas fazer o primeiro pagamento só em 2019.

Por isso, se esse é o seu caso, se você já sabe que tem que fazer alguma coisa em 2019, a minha recomendação é não esperar o ano virar: aja agora!

A propósito: já que estamos falando em apoio à decisão, lembro que toda quarta-feira às 15h ofereço mentoria empresarial, online e AO VIVO, para ajudar empresários a desenvolver os seus negócios sem se tornar escravos do seu trabalho.

Para submeter o seu “case” ou apenas assistir à conversa, basta inscrever-se aqui: claudionasajon.com.br/aovivo/.

Até lá,

Claudio Nasajon

PS: Mentoria online, AO VIVO – Toda quarta-feira, às 15h (hora de Brasília), compartilharei recomendações para enfrentar desafios comuns às empresas. Para participar, acesse claudionasajon.com.br/aovivo/

Comentários

comentários